As marcas sempre conviveram com o grande paradigma de investir em publicidade e propaganda, mas sem perder a mão no controle de como ela se relaciona com o público alvo. A intenção é sempre permitir um estímulo para o conhecimento das ações das marcas, para conseguir criar uma relação de lealdade a longo prazo, permitindo uma redução no investimento da publicidade.

Entretanto, as mídias sociais chegaram com uma proposta de mudança da relação com marcas e publicidade que, de maneira significativa, estão influenciando no comportamento do consumidor e especialmente nas suas relações com as marcas.

Mas as mídias sociais vão matar as marcas? Como as marcas podem evitar que esse tipo de prejuízo aconteça?

Novo modelo de contato com as marcas

Não podemos negar que as mídias sociais modificaram muito a maneira como nos relacionamos com as marcas. Antes, o que só conhecíamos através da TV, de um anúncio de jornal ou propaganda no rádio, hoje está a um rápido e fácil acesso de qualquer pessoa, com apenas um clique.

As redes sociais permitiram o surgimento de novas marcas que antes não tinham alcance, dinheiro e espaço nas grandes mídias. De uma certa maneira, elas popularizaram o contato com o público, tornando a atenção do consumidor um bem ainda mais valorizado.

Por isso, muitas grandes marcas se viram obrigadas a trocar o investimento que faziam nas grandes mídias para algo que garantisse sua presença digital, disputando ali espaço com quem já estava e ganhou renome por lá.

Mais oportunidades para marcas e clientes

A chegada das grandes marcas nas redes sociais tornou esse um campo ainda mais disputado e uma verdadeira mina de ouro de investimento para as empresas que gerenciam as plataformas. Entretanto, dinheiro não é suficiente para conseguir conquistar a atenção do cliente no universo digital.

Apesar do dinheiro lhe ajudar a se fazer mais presente em todos os touchpoints do seu cliente, as mídias sociais também mudaram a maneira como o consumidor avalia essa questão. Ele prefere a marca que tem mais cuidado e atenção com o que ele quer e precisa, buscando ainda mais aquela relação de confiança e lealdade, que a publicidade antiga queria valorizar antes da chegada das redes.

Por isso, quem tem o melhor comportamento pensando no cliente, hoje, está conseguindo sua atenção e conquistando mais o espaço nas redes sociais – o que para muitas grandes marcas começou a significar o fim de sua história.

Mídias sociais não matam marcas que pensam no cliente

Pensar que as mídias sociais vão acabar com a relação marca-cliente é um caminho errado, visto que o mercado publicitário já sofreu outras mudanças drásticas com a influência da tecnologia – como a chegada da TV, por exemplo – e conseguiu sobreviver.

Por isso, tudo se baseia agora em uma questão de como aprender a reconquistar o cliente e manter a relevância da sua marca. Dessa maneira, compreender que existe uma demanda do cliente em ser valorizado, bem tratado e informado com assuntos relevantes e no momento certo para ele, é o caminho que vai salvar as marcas.

Para isso, é preciso repensar a estratégia de comunicação, de investimento e, principalmente, de entender como seu cliente quer ser abordado e tratado por você. A ajuda de especialistas nessa comunicação digital é essencial para as marcas que querem fazer isso da maneira certa.

 

Portanto, as mídias sociais não vão matar as marcas, e podem ajudar a catapultar algumas para o sucesso. Tudo que você precisa é aprender a lidar com essa nova maneira de se comunicar. E como sua marca tem feito isso? Conte para a gente!